ARCOBERTURADESTAQUE

Vaya Space e Avibras, a nova era do espaço no Brasil.

Vaya Space Brasil e Avibras, a nova era do espaço no Brasil.

A sede da Avibras Indústria Aeroespacial S/A em São José dos Campos foi o palco de um importante encontro que promete mudar os rumos do Programa Espacial Brasileiro.

O presidente da Avibras, Senhor João Brasil, e a diretoria da empresa brasileira recepcionaram a comitiva da Vaya Space Team formada por Rob Fabian (presidente), Jack Blood (VP Sales & Marketing), Cristiano Pinto (representante no Brasil) e Philip Newton (representante no Brasil).

Avibras e Vaya Space concordaram em assinar um Memorando de Entendimentos para desenvolverem parcerias comerciais e tecnológicas.

Vaya Space Brasil e Avibras, a nova era do espaço no Brasil.

O MoU deverá ser assinado nos próximos dias e os trabalhos serão iniciados o mais brevemente possível.

Esses “trabalhos” consistem, entre outras questões ainda não divulgadas, no emprego de foguetes do portifólio Avibras no atual estágio de desenvolvimento que se encontram, “preenchidos” com a tecnologia de impressão de motores foguete híbridos em 3D STAR-3DTM da Vaya Space.

Na sequência desses desenvolvimentos, deverá ser realizado o primeiro de três lançamentos de sounding rockets  fruto dessa parceria, com previsão para o final de 2021 ou mais tardar no início de 2022.

Um sounding rocket, às vezes chamado de foguete de pesquisa, é um foguete portador de instrumentos projetado para fazer medições e realizar experimentos científicos durante seu vôo sub-orbital.
Os foguetes são usados para transportar instrumentos de 48 a 145 km (30 a 90 milhas) acima da superfície da Terra, a altitude geralmente entre balões meteorológicos e satélites; a altitude máxima para balões é de cerca de 40 km (25 milhas) e a mínima para satélites é de aproximadamente 121 km (75 milhas).
O Brasil tem lançado seus próprios sounding rockets desde 1965.
A maior família de foguetes desenvolvidos no Brasil foi a Sonda,  base de P&D utilizada na construção do lançador de satélites VLS.
Na atualidade, o mais ativo e confiável sounding rocket brasileiro é o VSB-30.
Trata-se de um foguete suborbital da família Sonda, que possui dois estágios à propulsão sólida, estabilizado rotacionalmente e com capacidade de transportar cargas úteis de até 400 kg, em altitudes na faixa de 270 km.
O primeiro estágio possui um propulsor tipo booster (denominado S31, desenvolvido pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço – IAE).
O VSB-30 é um foguete de sondagem direcionado a realizar experimentos em ambientes de microgravidade, permitindo que a carga útil permaneça cerca de seis minutos acima da altitude de 110 km.
Não há torre de integração, o foguete decola por trilhos e consegue superar Mach 6 (seis vezes a velocidade do som).

What is your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Roberto Caiafa
Jornalista e Repórter Fotográfico especializado na Editoria de Defesa com mais de 15 anos de experiência profissional. Corresponsal no Brasil de Infodefensa desde abril de 2011. Youtube Canal Caiafamaster (https://www.youtube.com/c/caiafamaster)

You may also like

3 Comments

  1. ótima notícia para nossa Avibras! como eu e muitos já sabiam…
    Espero que a Avibras adquira algum tipo de conhecimento para nossas Forças Armadas com essa parceria…

    1. Complicado. O Acordo de salvaguardas tecnológicas que permite essa parceria não permite que empresas americanas transfiram tecnologia para o Brasil.
      Acho que o envolvimento da Avibrás não irá muito além de fornecer foguetes para VAYA testar o seu motor, ou ainda, fornecer peças para a VAYA montar seu próprio foguete no futuro, o que já é excelente. Teremos uma empresa americana, com sede no Brasil, fabricando e lançando do Brasil e usando componentes de outras empresas brasileiras. Não dá pra pedir mais que isso.
      A indústria nacional já tem know-how suficiente para desenvolvermos nosso próprio lançador se houver interesse. O IAE bem sabe disso. Só falta dinheiro e boa gestão.

  2. Bora comprar as ações da Avibrás enquanto tão baixas galera, porque elas vão subir muito até fevereiro do ano que vem.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in:AR