COBERTURADESTAQUE

TESTES NUCLEARES NOS ANOS 50 (COLORIZADOS)

O canhão atômico M65, muitas vezes chamado Atomic Annie era uma peça de artilharia construída pelos Estados Unidos e capaz de disparar um dispositivo nuclear.

Foi desenvolvido no início da década de 1950, no início da Guerra Fria, e colocado em campo, entre Abril de 1955 e Dezembro de 1962, na Alemanha Ocidental, na Coreia do Sul e em Okinawa.

A 25 de Maio de 1953 às 8:30​ da manhã, o canhão atômico foi testado no Nevada Test Site (especificamente o Frenchman Flat) como parte da série Upshot-Knothole de testes nucleares.

O teste – denominado “Grable” – contou com a presença do Chefe do Estado-Maior Conjunto, Almirante Arthur W. Radford e do Secretário de Defesa dos Estados Unidos Charles Erwin Wilson; resultou na detonação bem sucedida de um projéctil de 15 kt (63 TJ) (ogiva W9) a um alcance de 7 milhas (11 km).

Este foi o primeiro e único projéctil nuclear a ser disparado a partir de um canhão (O tiro de teste Little Feller 1 de um W54 utilizou um sistema de arma Davy Crockett, que era uma arma sem recuo, disparando a ogiva montada na extremidade de um espigão inserido no cano da arma).

Após o teste bem-sucedido, pelo menos 20 canhões foram fabricados em Watervliet e Watertown Arsenals, a um custo de Us$ 800.000 dólares cada (cerca de US$ 500 milhões em valores atuais).

Foram colocados no estrangeiro , especialmente Europa e Coreia, frequentemente deslocados para evitar serem detectados e visados por forças contrárias.

Devido à dimensão do aparelho, ao seu alcance limitado, ao desenvolvimento de projécteis nucleares compatíveis com peças de artilharia existentes (o W48 para os 155 mm e o W33 para os 203 mm), e ao desenvolvimento de artilharia nuclear baseada em foguetes e mísseis (como os mísseis nucleares tácticos Little John e Honest John), o M65 ficou obsoleto pouco tempo depois de ter sido implantado.

No entanto, permaneceu uma arma de prestígio e só foi retirada de serviço em 1963. (Nos anos 80, essa arma reapareceu no clássico trash “A Volta dos Mortos Vivos” ou “The Return of the Living Dead”, quando é usada para destruir uma cidadezinha americana no Kentucky tomada por… ZUMBIS!)

TOP 10 NUKES

10 maiores testes nucleares americanos em potência (megatons), a maioria no Atol de Bikkinni, no Pacífico.

Ive Mike é um dos mais conhecidos.

 

Teste da arma nuclear soviética RDS-3.

A RDS-3 foi a terceira bomba atômica desenvolvida pela União Soviética em 1951, após o famoso RDS-1 e RDS-2.

Ela foi chamada de Marya nos círculos militares.

A bomba tinha um design composto com um núcleo de plutônio dentro de uma casca de urânio, proporcionando um poder explosivo de 41,2 kilotons.

A RDS-3 foi testada em 18 de outubro de 1951, sendo lançada pelo ar usando um bombardeiro Tupolev TU-4, uma cópia despudorada do Boeing B-29, idêntico até nos escritos “Boeing” nos pedais dos lemes direcionais!

Foi o primeiro teste de um dispositivo nuclear lançado por um bombardeiro soviético, e ficou conhecido como Joe-3 no Ocidente.

A RDS-3 foi detonada a uma altitude de 400 metros.

What is your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Roberto Caiafa
Jornalista e Repórter Fotográfico especializado na Editoria de Defesa com mais de 15 anos de experiência profissional. Corresponsal no Brasil de Infodefensa desde abril de 2011. Youtube Canal Caiafamaster (https://www.youtube.com/c/caiafamaster)

You may also like

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in:COBERTURA