DESTAQUEMAR

TENSÃO CHINA X USA CHEGA NO ATLANTICO SUL – USCG PATRULHA O ATLÂNTICO SUL COM O USCGC STONE!

O recém construído navio da Guarda Costeira dos Estados Unidos, o USCGC Stone, partiu de Pascagoula, no estado americano do Mississippi, no dia 22 de dezembro do ano passado, iniciando sua primeira patrulha, a Operação Cruzeiro do Sul, cujo objetivo é combater a pesca ilegal, não declarada e não regulamentada (IUU, na sigla em inglês) no Atlântico Sul, estreitando, assim, as relações entre nações para cooperação e segurança marítima na região.

O navio entrou em águas brasileiras na última segunda-feira, 11, e sua tripulação conduzirá uma série de  treinamentos junto com a Marinha do Brasil  nos dias 18 e 19 no Rio de Janeiro.

Depois de passar por outros países vizinhos, o USCGC Stone, na viagem de retorno, atracará em Salvador em 8 de fevereiro.

A pesca ilegal é a principal ameaça global à segurança marítima e estima-se que seja responsável pela perda anual de dezenas de bilhões de dólares em receita para pescadores legais.

Ao depreciar acordos internacionais e medidas de conservação da pesca, essa atividade ilegal prejudica a segurança alimentar global, desestabiliza a segurança econômica de Estados costeiros e viola a soberania nacional. “Essa missão multilateral exemplifica a importância dedicada pelos EUA aos esforços globais de combate à pesca ilegal, incluindo o fortalecimento das regras que regem a atividade internacionalmente, o aprimoramento da governança marítima e o fomento a parcerias que gerem resultados colaborativos e duráveis em segurança”, afirma o embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman.

Enquanto peixe é proteína essencial para mais de 40% da população mundial, a pesca IUU impede o acesso a esse valioso recurso, principalmente nos países costeiros mais vulneráveis.

A Guarda Costeira americana é especializada em desenvolver e implementar mecanismos de fiscalização e transferir esse conhecimento a nações parceiras para que criem uma frente única de combate à pesca ilegal em qualquer oceano. “Um oceano saudável, produtivo e resiliente é vital para se alcançar crescimento econômico e prosperidade, segurança alimentar, saúde humana e recursos marinhos sustentáveis. O problema mundial é muito maior do que qualquer nação pode resolver sozinha. Estou orgulhoso do trabalho que fizemos e faremos juntos para enfrentar esse desafio”, argumenta Chapman.

O USCGC Stone esteve na costa da Guiana antes de vir ao Brasil e daqui partirá para países vizinhos, entre eles o Uruguai.

China x USA no Atlântico Sul

O USCGC Stone é um Navio Patrulha Oceânico operado por uma Guarda Costeira, mantendo a capacidade de cumprir a missão de Segurança Nacional.

A inusitada presença do navio norte-americano patrulhando águas internacionais no Atlântico Sul lembra as atividades da frota de combate da US Navy sob o controle do então Comando Sul (US SOUTHCOM) durante a Guerra Fria.

Na atualidade, a missão do USCGC Stone apresenta características geopolíticas claras envolvendo a tensa relação entre os Estados Unidos e a China, pois visa intimidar atividades ilegais, o tráfico ilícito e principalmente a pesca ilegal praticada abertamente por frotas de pesqueiros chineses.

Embora muita atenção seja dispensada pela mídia ocidental com relação as disputas entre China e Estados Unidos no Pacífico, onde as autoridades americanas afirmam que a expansão das frotas de pesca e militar dos chineses afetam o direito internacional e ameaçam a segurança econômica e a soberania das nações na região, há considerações semelhantes sobre os recursos naturais do Atlântico Sul.

A crescente preocupação despertada pelas atividades ilegais de pesca ao largo da América do Sul, praticada abertamente por barcos de pesca chineses e asiáticos levou a Argentina, por exemplo, a encomendar três novos Navios de Patrulha Oceânica (OPV) ao Naval Group francês.

O primeiro deles já entregue, o navio-patrulha oceânico ARA Bouchard (P51) foi recentemente armado com um moderno canhão Marlin WS, de 30 mm, fabricado pela empresa italiana Leonardo. Trata-se do principal sistema de armas a bordo, similar ao existente na proa do navio norte-americano.

O USCGC WMSL758  (National Security Cutter – Maritime Security Cutter Large) tem condições de operar no mar por até 60 dias e apresenta um deslocamento de 4.500 toneladas.

A velocidade máxima é de 28 nós, com autonomia de 12.000 milhas náuticas (cerca de 21.000km) em velocidade de patrulha.

What is your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Roberto Caiafa
Jornalista e Repórter Fotográfico especializado na Editoria de Defesa com mais de 15 anos de experiência profissional. Corresponsal no Brasil de Infodefensa desde abril de 2011. Youtube Canal Caiafamaster (https://www.youtube.com/c/caiafamaster)

You may also like

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in:DESTAQUE