COBERTURADESTAQUE

SU-30 sobre Essequibo! Aumenta a tensão entre Venezuela e Guiana

O incidente ocorreu em Eteringbang, uma área de mineração perto da fronteira com a Venezuela, por volta das 13 horas da tarde.
O Ministério das Relações Exteriores da República Cooperativa da Guiana, de acordo com fontes bem posicionadas, emitiu a seguinte declaração:
O Ministério das Relações Exteriores da República Cooperativa da Guiana deseja informar que na terça-feira, 2 de março de 2021, aproximadamente às 13:20 hrs, dois aviões de caça Sukhoi SU 30 do Exército venezuelano sobrevoaram a comunidade de Eteringbang e a pista de pouso a uma altitude muito baixa de 1500 pés. Os jatos de caça circularam uma vez pelo local antes de continuar na direção leste.
O Governo da Guiana condena este último ato de agressão das forças armadas venezuelanas como uma violação da soberania da Guiana sobre o ar acima de seu território.
O Governo deseja lembrar que esta última hostilidade segue de perto: (i) um Decreto recentemente promulgado pelo Presidente Nicolas Maduro com o objetivo de estabelecer um território marítimo para a Venezuela, abrangendo as águas territoriais da Guiana, a ZEE e a plataforma continental, bem como seu território terrestre a oeste do rio Essequibo; (ii) a interceptação e detenção ilegal de dois barcos de pesca da Guiana e sua tripulação em águas da Guiana; e (iii) as resoluções da Comissão Especial de Defesa do Essequibo Guiana e da Soberania Territorial recomendando a convocação de uma sessão desta Comissão Especial ao Essequibo com a assistência das Forças Armadas venezuelanas.

A incursão dos dois aviões de combate venezuelanos em nosso território é uma clara indicação de que o Governo da Venezuela está preparado para usar a agressão e a intimidação para alcançar o que não pode ser alcançado por meios legais – a rendição por parte da Guiana de seu patrimônio. O Governo da Guiana insta o Governo da Venezuela e seus agentes a se comportarem de forma coerente com o direito internacional e as boas relações de vizinhança.
A comunidade internacional será mantida informada de todas as ações tomadas pela Venezuela para minar a soberania e a integridade territorial da Guiana e ameaçar a paz e a segurança da região.
Agressões da Venezuela
Esta é a última forma de agressão territorial praticada pela Venezuela, seguindo de perto a detenção e posterior liberação de dois navios e tripulação de pesca da Guiana que haviam estado nas águas da Guiana ao largo da Região de Essequibo.
O sobrevoo do espaço aéreo da Guiana veio poucos dias depois que o Ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino, advertiu a Guiana que defenderá em todos os níveis” os direitos que afirma ter sobre a Região do Essequibo.
A Agência Espanhola de Notícias informou em uma entrevista com Padrino, transmitida neste domingo na televisão pública Venezolana de Televisión (VTV) que seu país está convencido de que o Essequibo pertence à Venezuela.
Ao mesmo tempo, o Sr. Padrino está reiterando sua vontade de resolver o conflito no âmbito do Acordo de Genebra.
A Venezuela tem se tornado cada vez mais agressiva em relação à Guiana desde que o país entrou com um caso no Tribunal Internacional de Justiça para buscar uma declaração de que a Sentença Arbitral de 1899 é um acordo completo, final e perfeito da fronteira terrestre com a Venezuela.
A Venezuela não reconhece a jurisdição do Tribunal Internacional de Justiça.
O Sr. Padrino diz que todos os homens fardados apoiam a política externa do presidente venezuelano.
Ao invés disso, a Venezuela quer resolver a controvérsia fronteiriça em negociações bilaterais, um processo que, segundo  o Governo da Guyana, fracassou por cerca de 50 anos.

What is your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Roberto Caiafa
Jornalista e Repórter Fotográfico especializado na Editoria de Defesa com mais de 15 anos de experiência profissional. Corresponsal no Brasil de Infodefensa desde abril de 2011. Youtube Canal Caiafamaster (https://www.youtube.com/c/caiafamaster)

You may also like

4 Comments

  1. Um absurdo o que está acontecendo, mas não é de hoje a reinvindicação venezuelana. Se ninguém intervir, a Guiana não tem condições de resistir a um ataque venezuelano.

  2. A cada dia que passa mais a Venezuela está ousada. Tenho acompanhado a questão defesa daquele país e observei que modernizações estão sendo feitas. Além disso, armas, enviadas por parte da Rússia, China e Irã. Até o momento, desconheço outro país que esteja enviando armas para a Venezuela. Podemos esperar problemas no futuro, sendo causado pela Venezuela. Fato, a América do Sul, não pode se tornar um barril de pólvora prestes a explodir. Maduro e sua mente sequelada, pode, em algum momento, acabar mandando um ataque armado a Guiana. Os Estados Unidos, agora, com a administração Biden, pode querer intervir na Venezuela e ai, veremos um enxame de pessoas necessitadas entrarem no Brasil.

  3. Será que, como o Brasil é o maior player do continente, ele interviria a favor da Guiana mostrando estar disposto a manter a ordem no continente ??? Seria ótimo para projetar de vez como o líder que sempre foi na AL e mostrar quem manda por estas bandas.

    1. Não estamos conseguindo lidar com nossa situação interna, acho que uma guerra agora iria acabar com o Brasil.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in:COBERTURA