COBERTURADESTAQUE

Rheinmetall Lynx KF-41 IFV: sotaque australiano interessa ao Brasil?

O Lynx KF41 é um veículo blindado de combate de infantaria desenvolvido pela alemã Rheinmetall Defense e apresentado oficialmente durante a Eurosatory 2018.

O novo blindado pesa cerca de 50 toneladas e transporta 8 fuzileiros completamente equipados mais 3 tripulantes.

O trem de força é composto por um motor diesel de 1150 HP acoplado a uma transmissão automática, o que permite ao KF-41 alcançar até 70 km de velocidade apresentando excelente agilidade em qualquer terreno (autonomia de 500 km).

A torre de desenho furtivo Lance está equipada com um canhão Mauser MK30-2 de 30 mm (com opção para a Lance 2.0 Wotan 35, de 35×228 mm) e metralhadora coaxial 7,62 mm de três canos.

A tripulação do KF-41 opera sistema de visão digital integrado de 360º, telêmetro laser e sistema de controle de fogo computadorizado.

Para engajar veículos e posições inimigas estão integrados mísseis anticarro do tipo Spike LR2 disponíveis em containers externos.

O KF-41 é compatível com o Iron Fist ou Punho de Ferro, avançada tecnologia que detecta, rastreia e neutraliza automaticamente ameaças que se aproximam, protegendo de forma ativa (hard kill) veículo e tripulação.

O Brasil interessado no Lynx KF-41?

Segundo a Rheinmetall, a família Lynx de veículos blindados sobre esteiras está na vanguarda de uma nova tendência no projeto IFV em direção a veículos blindados com menor custo unitário e de vida útil prolongada e complexidade reduzida.

Um dos princípios-chave do conceito Lynx é a integração de subsistemas comprovados com um alto nível de prontidão tecnológica para reduzir o tempo de desenvolvimento, o custo e o risco técnico.

Exatamente o que o Subprograma Estratégico Forças Blindadas (S Prg EE F Bld) está buscando para atender a futura diretiva de aquisição da Viatura Blindada de Fuzileiros (VBC Fuz).

Adicionalmente, a plataforma base do KF-41 atende ao conceito de “família” de blindados, permitindo desenvolver, a partir do Lynx, uma nova viatura carro de combate para o Exército Brasileiro, o que criaria escala suficiente para um programa de fabricação e montagem final desses carros no Brasil.

Nos bastidores do mercado de Defesa brasileiro comenta-se que a 6ª Mostra BID Brasil deverá ser palco de alguns anúncios importantes previstos para 2020 e postergados devido a Pandemia do Covid-19 e cancelamento de eventos.

Insistentes rumores no início de 2021 falam sobre o possível anúncio de uma parceria internacional entre uma grande empresa brasileira de Defesa e a alemã Rheinmetall, e nessa parceria haveria o anúncio formal do Lynx KF-41 como candidato para tornar-se a futura Viatura Blindada de Fuzileiros (VBC Fuz), e indo além, servir de base para o desenvolvimento de um novo carro de combate que substituiria o Leopard 1A5 BR definitivamente.

 

Um Lince com sotaque australiano

A Rheinmetall já entregou os três veículos blindados de combate infantaria Lynx KF41 projetados, desenvolvidos e fabricados para o programa de avaliação e aquisição LAND 400 Fase 3 das Forças Armadas da Austrália, no valor de 18,1 bilhões de dólares.

O programa visa a substituição da força de blindados de transporte de pessoal M113 (APC) por uma combinação de novos IFV e APC.

O alemão Lynx da versão KF-41 é um veículo de combate de infantaria (IFV) de última geração construído para atender aos rigorosos requisitos militares do LAND 400 Fase 3.

A Rheinmetall entregou aos australianos os três veículos Lynx para serem usados nos testes de avaliação como parte da atividade de mitigação de risco (RMA) que acontece em toda a Austrália durante um período de 12 meses (a partir de novembro de 2020).

Se for escolhido, o Lynx será fabricado em Queensland no novo Centro de Excelência de Veículos Militares da Rheinmetall (MILVEHCOE) em Redbank, no sudoeste de Brisbane.

Cada um dos veículos Lynx KF-41 entregues para a realização dos ensaios RMA já incorpora um nível significativo de conteúdo da indústria australiana.

Na atualidade, a Rheinmetall também está entregando 211 veículos de combate 8×8 Boxer de reconhecimento (CRV) para o Exército australiano após 12 meses de testes de RMA pelo pessoal da Força de Defesa Australiana em 2016-17.

Existe uma comunalidade significativa de itens entre os dois projetos.

A empresa está estabelecendo uma capacidade industrial local na Austrália para o projeto, desenvolvimento e fabricação de veículos militares que cria empregos duradouros de alta tecnologia para centenas de australianos através da localização de projetos e fabricação de perícia em eletro-óptica, sistemas de armas, controle de fogo e sistemas de sensores, fabricação de torres, projeto e fabricação de variantes, integração, sistemas de blindagem, simulação, treinamento e suporte logístico integrado de frotas.

Tanto o Boxer quanto o Lynx são modulares.

Isso significa que o veículo pode ser dividido em dois, com um módulo de missão “sentado” em um módulo de acionamento comum.

Isto permite a troca dos módulos de missão para necessidades operacionais, reduzindo o custo de vida útil para a introdução de novas tecnologias, e o gerenciamento contínuo da frota.

E também permite ao Sub-Programa Forças Blindadas do Exército Brasileiro, caso venha a dotar a solução da Rheinmetall, desenvolver um novo carro de combate apresentando grande comunalidade logística e operacional com sua viatura blindada de fuzileiros.

What is your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Roberto Caiafa
Jornalista e Repórter Fotográfico especializado na Editoria de Defesa com mais de 15 anos de experiência profissional. Corresponsal no Brasil de Infodefensa desde abril de 2011. Youtube Canal Caiafamaster (https://www.youtube.com/c/caiafamaster)

You may also like

2 Comments

  1. Caramba, bicho. Que massa! Imagine mais um salto tecnológico em noss BID acontecendo com esse anúncio oficial dando por concreto. Vai ser muito lindo ver isso. A parte mais interessante da matéria para mim foi essa:

    ”Insistentes rumores no início de 2021 falam sobre o possível anúncio de uma parceria internacional entre uma grande empresa brasileira de Defesa e a alemã Rheinmetall, e nessa parceria haveria o anúncio formal do Lynx KF-41 como candidato para tornar-se a futura Viatura Blindada de Fuzileiros (VBC Fuz), e indo além, servir de base para o desenvolvimento de um novo carro de combate que substituiria o Leopard 1A5 BR definitivamente.”

    Show!

    BORA BRASIL!

  2. Olha, fiquei ainda mais ansioso pelos eventos na Mostra BID, ah se civis pudessem participar , creio que daria um jeitinho de dar uma espichada até lá,rs.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in:COBERTURA