DESTAQUETERRA

Paraquedistas do EB e KC390 prontos para o combate no Exercício Culminating

  • A #PantherBrigade do Exército dos Estados Unidos (US Army) ordenou o movimento de tropas para dar início ao Exercício Culminating no Joint Readiness Training Center em Fort Polk, Louisiana.

A Brigada Paraquedista pronta para o combate

A tropa brasileira está pronta para o salto no Exercício Culminating.

O Exercício Culminating tem como objetivo avaliar, ao longo de 10 dias, a capacidade de preparar, lançar e manobrar rapidamente uma brigada paraquedista e seus equipamentos dentro de um prazo de dezoito horas, pelo Exército dos Estados Unidos (US Army).

Nos cinco dias finais, ocorrerá o emprego de munição real (Live Fire Exercise).

Na última terça, 19 de janeiro, os 172 militares da subunidade Culminating, formada pela Companhia de Fuzileiros Paraquedistas do Exército Brasileiro, realizaram atividades de adaptação ao equipamento de salto americano, o paraquedas T-11, e obtiveram habilitação para saltar de aeronaves do Exército dos EUA (US Army).

A adaptação consistiu de oficinas que compreenderam a apresentação do equipamento, o briefing de orientação por mestres de salto e o treinamento, ainda em solo, de técnicas de saída da aeronave.

O salto real foi realizado na quarta-feira, 20, na Zona de Lançamento de Avelino, localizada no interior do campo de instrução do Joint Readness Training Center (JRTC), em Fort Polk, Louisiana.

A subunidade Culminating chegou em Fort Polk no dia 4 de janeiro.

Em seguida, a tropa cumpriu período de quarentena exigido pelas autoridades sanitárias americanas em prevenção à Covid-19, até domingo, 17.

O período também serviu como aclimatação da tropa ao inverno americano, que tem atingido temperaturas diárias de 0° C.

Na sequência, os militares brasileiros iniciaram as atividades de preparação técnica para o exercício propriamente dito.

Exercício Combinado

O Exercício Culminating é a última fase de um intercâmbio realizado entre o Exército Brasileiro e o Exército dos Estados Unidos, conduzido ao longo de cinco anos.

Nessa etapa, militares da Brigada Paraquedista brasileira enquadram-se em um batalhão de uma brigada da 82ª Airborne Division, a Panther Brigade.

Os Paraquedistas da Panther Brigade (3rd Brigade Combat Team, 82nd Abn Div) trabalharam intensamente antes do exercício e o moral dessa força encontra-se alto, a confiança em um bom desempenho é um sentimento compartilhado por todos.

Confiança também na inédita participação dos paraquedistas brasileiros, proporcionando a interoperabilidade para treinar e lutar com mais de 100 pára-quedistas do Exército Brasileiro agregados à Panther Brigade na subunidade Culminating.

A Panther Brigade vai ser apoiada no combate pela 82nd Combat Aviation Brigade e 82nd Airborne Division Sustainment Brigade (com apoio local da 321st Sustainment Brigade).

O exercício se estenderá até o dia 22 de fevereiro.

KC390 na noite lançando paraquedistas

Uma aeronave KC-390 Millennium do 1º Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT) está nnos Estados Unidos desde o dia 12 de janeiro para participar da Operação Culminating, lá permanecendo até o próximo dia 05 de fevereiro.

Dessa forma, a aeronave fabricada pela Embraer terá a oportunidade de operar em um grande exercício com a realização de treinamentos em cenários simulados de conflito enquanto o mercado internacional observa atentamente o seu desempenho.

Em conformidade com as orientações de saúde estabelecidas pela organização do exercício, os militares cumpriram período isolamento social nas instalações designadas para esse objetivo em Fort Polk.

Ao longo desse período, os militares treinaram atividades teóricas (simuladores) para os voos programados, entre eles, um voo de pacote envolvendo aeronaves dos Estados Unidos, Itália e Canadá, com o lançamento de cerca de 4 mil paraquedistas em apenas uma noite.

O coordenador do exercício, Major Aviador Daniel Elias Souza, explica a importância do período de adaptação realizado durante a quarentena. “Nós já viemos preparados do Brasil. O que fizemos durante a quarentena foi desenvolver ainda mais a doutrina, a mentalidade de segurança e os aspectos do tráfego aéreo local. O objetivo agora é atuar nos cenários impostos para o esquadrão durante o exercício, juntamente com o Exército Americano, com a Força Aérea Americana e com o Exército Brasileiro, com segurança e eficiência”, explicou o major.

“Diante de toda a evolução tecnológica que o KC-390 traz, quando a aeronave tem a possibilidade de operar em conjunto com outras Forças, é possível aprimorar a doutrina, verificando as características que o cenário atual apresenta”, afirmou o Major Aviador Rafael Portella Santos, um dos pilotos que compõem a equipe do avião.

What is your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Roberto Caiafa
Jornalista e Repórter Fotográfico especializado na Editoria de Defesa com mais de 15 anos de experiência profissional. Corresponsal no Brasil de Infodefensa desde abril de 2011. Youtube Canal Caiafamaster (https://www.youtube.com/c/caiafamaster)

You may also like

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in:DESTAQUE