COBERTURADESTAQUETERRA

Operação Acolhida oferece estágio em comunicação para migrantes e refugiados venezuelanos no CComSEx (EB).

O refugiados venezuelanos em Pacaraima e Boa Vista, enquanto permanecem na região de fronteira, vivem em acampamentos organizados pelo Governo Brasileiro dentro da Operação Acolhida.

O cotidiano dessas pessoas envolve também aspectos comportamentais e culturais, seja na busca por aprender sobre o Brasil, seja na necessidade de manter sempre presente a cultura venezuelana e assim amainar as saudades da terra natal.

Em diversos acampamentos, refugiados voluntários começaram a criar, de forma improvisada, rádios comunitárias ou simples sistemas informativos baseados em uma rede de alto-falantes.

Essas iniciativas ajudam a informar de forma responsável os refugiados sobre os temas que realmente os interessam, tanto em assuntos do Brasil quanto da Venezuela.

Essas rádios e serviços informativos foram reconhecidos pelos gestores da Operação Acolhida como importantes ações sociais, e então foi decidido ampliar e melhorar esses serviços propiciando cursos de capacitação para os voluntários, inclusive em Brasília, onde o Exército Brasileiro, através do Centro de Comunicação Social, abriu as portas da Rádio Verde Oliva para a realização de treinamentos que permitam aos venezuelanos aumentarem o alcance e a qualidade de seus veículos de comunicação.

Dessa, forma, entre os dias 26 e 28 de maio, está acontecendo um estágio de aperfeiçoamento em rádio e em comunicação social no CComSEx (Centro de Comunicação Social do Exército), em Brasília.

Em parceria com a ACNUR (Agência da ONU para Refugiados), a Força-Tarefa Logística Humanitária está propiciando que estes migrantes conheçam de perto como funciona uma rádio profissional, a rádio Verde Oliva do Exército Brasileiro.

O grupo é formado por onze alunos, que atualmente vivem nos abrigos de Boa Vista(RR), sendo três deles indígenas.

No abrigo, eles atuam de forma voluntária na rádio “A Voz dos Refugiados”.

A rádio inaugurada em março deste ano, transmite programas em língua espanhola e o som se propaga pelos alto falantes do Rondon III, que é um dos abrigos temporários da Operação Acolhida em Roraima.

Por meio de um estúdio que opera como um laboratório de rádio no abrigo, voluntários radialistas gravam programas em formato de podcasts a partir de dúvidas da própria comunidade.

​O objetivo do estágio em Brasília é proporcionar aos migrantes que fazem parte do projeto de rádio um contato com a estrutura da CCOMSEX, dando a oportunidade de absorver conhecimento nas diversas funções dentro de uma emissora de rádio, podendo tirar dúvidas e aperfeiçoar cada vez mais o trabalho na rádio “A Voz dos Refugiados”.

#opacolhida #ExércitoBrasileiro #Acnur #consuladogeraldeluxemburgo #AVSIBrasil

What is your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Roberto Caiafa
Jornalista e Repórter Fotográfico especializado na Editoria de Defesa com mais de 15 anos de experiência profissional. Corresponsal no Brasil de Infodefensa desde abril de 2011. Youtube Canal Caiafamaster (https://www.youtube.com/c/caiafamaster)

You may also like

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in:COBERTURA