COBERTURADESTAQUE

Brasil constrói capacidades NCW com os Sistemas Link-BR2, SDR-Defesa e MDLP

Ilustração de Wilson Cara.
Ilustração de Wilson Cara.

O Sistema Link BR2, destinado a ampliar a capacidade de comunicações das aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) entrou na fase da Campanha de Ensaios em Voo, e uma demonstração do sistema foi realizada na Ala 3 (Canoas, RS) para o alto comando da corporação no último dia 16 de dezembro.

A Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC) e a empresa AEL Sistemas apresentaram o desenvolvimento do Projeto Link-BR2 ao Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro-do-Ar Antônio Carlos Moretti Bermudez, ao Comandante da Ala 3, Brigadeiro do Ar Mauro Bellintani, e outros Oficiais-Generais da FAB e do Ministério da Defesa.

Um caça Northrop F-5EM do 1º/14º GAV (Esquadrão Pampa), preparado com equipamentos e antenas para a instalação do sistema, realizou, durante a demonstração em voo, a comunicação, em tempo real, entre vetores aéreos e estações de Comando e Controle.

O caça foi pilotado pelo tenente-coronel-aviador Drozdz, do Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV), unidade especializada na realização desse tipo de desenvolvimento e teste de novas tecnologias.

A comunicação entre aeronaves, estações de solo e demais emissores/receptores utiliza protocolo criptografado com alto grau de segurança para o compartilhamento de mensagens e outras aplicações operacionais, permitindo a ampliação da consciência situacional de todos os participantes da rede, no ar e no solo, em tempo real.

A tecnologia conhecida como Data Link é restrita a poucos países e fundamental para as operações de guerra moderna.

O LINK-BR2 está sendo desenvolvido por engenheiros brasileiros em Porto Alegre.

Esse sistema poderá ser integrado a outro projeto de grande importância para a Defesa Nacional, que é o Rádio Definido por Software do Ministério da Defesa (RDS-Defesa), programa este liderado pelo Centro Tecnológico do Exército (CTEx).

O LINK-BR2 e o RDS-Defesa são os mais importantes projetos de interoperabilidade conduzidos pelas Forças Armadas e o Ministério da Defesa e devem promover a capacidade de integração entre Marinha, Exército e Aeronáutica numa rede de comunicação segura via rádio, além de permitir a troca de informações táticas provenientes de diversos sensores.

Com a sinergia dos projetos, o Brasil desponta como um País capaz de desenvolver tecnologias críticas de Comando e Controle necessárias à operação em ambiente de Guerra Centrada em Redes.

O Comandante da Aeronáutica comentou sobre a importância da implantação do Sistema “O Link-BR2 realmente vai ser um divisor de águas nas comunicações mais modernas, de dados e de voz, que muito contribuirá com os exercícios e operações que são realizados pelas nossas Forças: Marinha, Exército e Força Aérea”, informou.

O presidente da AEL Sistemas, Gal Lazar comemorou o marco histórico do projeto. “Hoje foi o primero voo que demonstrou capacidades operacionais do projeto estratégico LINK-BR2, conduzido pela FAB/COPAC e liderado pela AEL sistemas. Trata-se de um Sistema de Sistemas que implementa um Data Link no estado-da-arte que eleva substancialmente as capacidades operacionais da FAB e evidencia o alto nível de conhecimento técnico da nossa empresa. O voo do Sistema LINK-BR2 reforça a posição da AEL Sistemas, que juntamente com o Programa RDS-Defesa, se coloca como desenvolvedora e fornecedora de sistemas avançados de comunicação para as Forças Armadas Brasileiras.”

De acordo com o Presidente da COPAC, Major-Brigadeiro-do-Ar Valter Borges Malta “A realização da Campanha de Ensaios em Voo é uma etapa muito importante de todo o projeto, pois concretiza anos de trabalho e desenvolvimento de vários setores da FAB e da AEL Sistemas. O sistema Link-BR2 é uma realidade e, futuramente, estará embarcado nos caças F-39 Gripen que atualmente estão sendo desenvolvidos na Suécia e no Brasil”, destacou o Oficial-General.

O piloto de ensaio, Tenente-Coronel José Ricardo Drozdz, explicou sobre os avanços trazidos pela nova tecnologia. “Para a Força Aérea, o sistema Link-BR2 trará um ganho operacional inigualável, visto que todas as aeronaves que estiverem no Teatro de Operações terão capacidade de receber informações e também enviar mensagens e dados para as estações de solo, de forma a aumentar a consciência situacional de todos os envolvidos nas operações”, disse.

Visita às instalações da AEL Sistemas

Antes do voo de demonstração, realizado na manhã da última quarta-feira (16/12), a comitiva do Alto Comando da Força Aérea e do Ministério da Defesa visitou as instalações da AEL Sistemas, em Porto Alegre, onde é desenvolvido o Projeto Link-BR2.

Representantes das Forças Armadas conheceram de perto áreas de desenvolvimento e produção de aviônicos e sistemas, bem como assistiram à uma demonstração de interoperabilidade entre equipamentos de comunicação utilizados pela Marinha, Exército e Força Aérea Brasileira, a exemplo do Rádio Definido por Software de Defesa (RDS-Defesa).

O Diretor de Programas da AEL Sistemas, Leonardo Martins Vegini, comentou sobre o evento. “A visita do Comando da Aeronáutica, juntamente com representantes do Ministério da Defesa, significa muito para a empresa, pois a gente pôde apresentar todos os desenvolvimentos que temos junto à Força Aérea, como o Gripen, o KC-390, o Link-BR2, as aeronaves remotamente pilotadas e a parte de comunicação. Então, foi algo muito relevante, que culminou com a demonstração em voo do sistema do Link-BR2, que trará muitas capacidades adicionais e operacionais para a Força Aérea Brasileira e que nos orgulha muito como brasileiros”, declarou.

Além da COPAC, o Projeto Link-BR2 conta com as gerências temáticas do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE); Comando-Geral de Apoio (COMGAP); Comando de Preparo (COMPREP); Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER); Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA); Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA); Centro de Inteligência da Aeronáutica (CIAER), e do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI).

Campanha de Ensaios em Voo

Após um extenso período de preparação e planejamento, no dia 1º de dezembro, na Ala 3, ocorreu o primeiro voo de uma aeronave da FAB como participante da Campanha de Ensaio em Voo do Projeto Link-BR2, marcando o seu início.

Durante o mês de novembro, equipes da FAB estiveram no Rio Grande do Sul a fim de verificar as fases de desenvolvimento do projeto e realizar as atividades preparatórias para o início da Campanha de Ensaios em Voo.

O voo foi realizado por equipagem do IPEV que, em coordenação com a empresa e com representantes do COMPREP e COPAC, cumpriu as primeiras avaliações do sistema.

O Piloto de ensaio da FAB e Diretor do IPEV, Coronel-Aviador Marcelo Zampier Bussmann, realizou o primeiro voo no F-5EM, com o sistema Link-BR2 embarcado. “A integração do sistema mostrou-se muito robusta, não havendo problemas de interferência com os sistemas já incorporados na aeronave F-5EM. É uma grande satisfação poder voar pela primeira vez um sistema concebido por inúmeras pessoas da FAB, desenvolvido por empresa brasileira e que vai contribuir de forma definitiva para prover consciência situacional no Teatro de Operações e geral vantagem tática no combate aéreo”, destacou o Oficial.

A previsão é que o projeto seja finalizado em 2021.

O programa contempla a instalação em aeronaves F-5M, além de estações de planejamento, comando e controle de missão.

Já é prevista a integração do Sistema Link-BR2 no caça F-39 Gripen da Força Aérea Brasileira, o que vai maximizar suas capacidades de operação e de combate, permitindo operações de pacote e em forças de coalizão, proporcionando o compartilhamento de informações de radares, troca de mensagens, vídeos entre aeronaves e equipes de solo, integrando a comunicação completa entre os caças F-39 Gripen, F-5M, A-1M e A-29, os aviões de comando, controle e alerta aéreo antecipado E-99 e os centros de comando e controle em terra e no mar.

O Link-BR2 tem como contratante principal a AEL Sistemas, que conta com mais duas empresas brasileiras trabalhando como subcontratadas: Aeromot, na parte de modificações estruturais nas plataformas e a Kryptus, na parte de segurança.

O RDS-Defesa é um projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (P & D), coordenado pelo Ministério da Defesa e conduzido pelo Centro Tecnológico do Exército (CTEX), que busca empregar a tecnologia de rádios definidos por software para as comunicações militares no Brasil.

O objetivo maior do projeto é promover a interoperabilidade nas comunicações rádio das Forças Armadas do Brasil com uma família de rádios táticos nacionais.

Ele utiliza arquitetura de software SCA (Software Communication Architecture), que possibilita o desenvolvimento de formas de onda independentes da infraestrutura de hardware adotada.

A forma de onda (software) está sendo desenvolvida pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD).

Em execução desde 2013 pelo CTEX, o projeto entrou em uma nova fase, quando a empresa AEL Sistemas foi contratada para o desenvolvimento e fornecimento de 16 protótipos do RDS Veicular.

Assinado em primeiro de dezembro, o novo contrato terá 18 meses de duração e tem por objetivo a entrega de um produto capaz de ser certificado para emprego operacional pelas Forças Armadas, finalizando a etapa de P & D do projeto e habilitando um rádio militar nacional com alto valor agregado, cuja propriedade intelectual pertence ao Exército Brasileiro.

 

What is your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Roberto Caiafa
Jornalista e Repórter Fotográfico especializado na Editoria de Defesa com mais de 15 anos de experiência profissional. Corresponsal no Brasil de Infodefensa desde abril de 2011. Youtube Canal Caiafamaster (https://www.youtube.com/c/caiafamaster)

You may also like

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in:COBERTURA