COBERTURADESTAQUETERRA

KMW entra na disputa para vender blindado 8×8 ao Exército Brasileiro

A fabricante alemã Krauss-Maffei Wegmann (KMW), que tem filial em Santa Maria, entrou na disputa no edital do Exército Brasileiro que definirá quem vai fabricar e fornecer a nova viatura blindada de combate de Cavalaria (VBC Cav-MSR 8×8) para reforçar e modernizar as unidades militares do país.

A consulta foi aberta em março e, no final de maio, foi divulgado o relatório da primeira fase.

Segundo informações extraoficiais, diversos fabricantes do mundo entraram na disputa, mas a KMW tem uma vantagem competitiva por já estar instalada no Brasil, com sede na cidade.

Claro que um dos principais quesitos que devem ser levados em consideração é a qualidade dos blindados, além de suas funcionalidades e custos, já que o Exército pretende comprar de 93 a 226 unidades da nova viatura blindada.

De acordo com o edital, esses blindados serão sobre 8 rodas, por isso, o termo 8×8.

As empresas concorrentes, segundo o relatório do Exército, apresentaram veículos blindados com torres de 105 mm e 120 mm.

Este projeto VBC Cav 8×8 é um dos principais estímulos para a unidade de manutenção de blindados da KMW em Santa Maria ser ampliada.

Se a empresa vencer a disputa, fará investimento milionário para ampliar sua sede e passar a montar as viaturas blindadas aqui em Santa Maria, gerando centenas de empregos.

Atualmente, a empresa tem contrato de manutenção dos Leopard 1A5, dos Gepard 1 A2 (bateria antiaérea) e respectivos simuladores, comprados pelo Exército Brasileiro.

Nesta nova concorrência, a KMW vai disputar com o blindado Boxer que é fabricado em parceria com a alemã Rheinmetall.

Só para se ter uma ideia, elas fecharam recentemente uma venda bilionária para o Reino Unido, que vai comprar 500 unidades do Boxer por um valor total de 2,6 bilhões de euros (o equivalente a R$ 16 bilhões).

É um contrato muito importante também porque o blindado alemão venceu a disputa com concorrentes do próprio Reino Unido.

Em 2018, a Austrália comprou 225 blindados Boxer.

No caso do Brasil, o Exército ainda não definiu quantos blindados irá comprar: o mínimo previsto é de 93 unidades, e o máximo, de 226 blindados.

A previsão é de primeiras entregas em 2026.

A exemplo do valor pago pelo Reino Unido, a compra feita pelo Exército Brasileiro também deve prever um contrato bilionário.

Outra vantagem importante do Boxer, da KMW

Além da vantagem de a KMW estar instalada no Brasil, outro grande ganho competitivo do blindado Boxer é ser o único do mundo que permite uso em múltiplas funções (modularidade).

O módulo traseiro do Boxer pode ser trocado em 30 minutos, retirando o módulo que estiver na base e instalando um módulo de ambulância, torre 30mm, carro escola ou um módulo de transporte de tropas – ou seja, a parte frontal da viatura, onde ficam o motor e o motorista, é a mesma.

Apesar de o Exército estar focando agora na compra de um blindado com canhão de 105 mm, se escolher o Boxer poderá ter grande economia futura se adotar essa família de blindados, já que, com a compra de módulos, poderá ter veículos para diversos tipos de operações.

A decisão da vencedora pode sair em 2021 ou 2022.

Autor: Deni Zolin

What is your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Roberto Caiafa
Jornalista e Repórter Fotográfico especializado na Editoria de Defesa com mais de 15 anos de experiência profissional. Corresponsal no Brasil de Infodefensa desde abril de 2011. Youtube Canal Caiafamaster (https://www.youtube.com/c/caiafamaster)

You may also like

3 Comments

  1. Caiafa , o Boxer pode ser transportado pelo Kc 390?

  2. Ótima análise, Caiafa! O Exército Brasileiro tem mais a ganhar, no entanto, com a finlandesa Patria, vide as experiências da empresa em transferência de tecnologia na Polónia, Eslovénia, Croácia e África do Sul.

  3. O que me impressiona neste veículo é sua modularidade, mas ainda creio que dá Iveco.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in:COBERTURA

0 %