COBERTURA

Abesata participa do principal evento de aviação da América Latina e Caribe

O ALTA AIRLINE LEADERS FORUM acontece em Bogotá e contará com a presença de diversas autoridades do setor aéreo discutirá os desafios das companhias aéreas latino-americanas e os caminhos a trilhar, previsões sobre financiamento e medidas para diminuir a emissão de CO2 na aviação

A cidade de Bogotá, na Colômbia, sediará entre os dias 24 a 26 de outubro a 17ª edição do ALTA AIRLINE LEADERS FORUM, o mais importante evento de aviação comercial da América Latina e Caribe.

O encontro acontecerá no Hotel Grand Hyatt e reunirá diversas personalidades do setor aéreo com o objetivo principal de encontrar respostas para os impactos provocados pelas mudanças climáticas e a importante meta de reduzir pela metade as emissões de CO2 na aviação até 2050.

O evento contará com mais de 50 palestrantes que participarão de painéis sobre a utilização de combustíveis sustentáveis, a redução das emissões de gases de efeito estufa pela indústria aérea, as implicações da judicialização no setor, o cenário do transporte de carga antes e durante a pandemia, e as projeções para a recuperação do setor de turismo na América Latina e Caribe.

Entre os convidados do evento estão o Presidente da Colômbia, Ivan Duque; a ministra dos Transportes da Colômbia, Angela Orozco; os ministros do Turismo do Brasil, Colômbia e Equador; o Diretor-presidente da Abesata (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Auxiliares do Transporte Aéreo), Ricardo Aparecido Miguel; CEOs das principais companhias aéreas que operam na América Latina e Caribe; além do Secretário Geral da ICAO (Organização da Aviação Civil Internacional) e diversas outras autoridades de aviação.

“Um evento dessa magnitude demonstra que o setor aéreo está cada vez mais próximo de retomar os níveis pré-pandemia e precisamos estar preparados para oferecer uma aviação mais segura e eficiente, que esteja em concordância com a necessidade do mercado: Quando falamos em sustentabilidade, quase sempre pensamos no meio ambiente. Este é apenas um pilar – a sustentabilidade social e econômica são igualmente importantes e são essenciais para garantir a resiliência do ground handling”, disse Ricardo Miguel, Diretor-presidente da Abesata.

Na oportunidade, Miguel também vai expressar a satisfação pela recente aprovação (12/10) por parte da ICAO da recomendação regulatória, com foco na implementação do SMS (sistema de gerenciamento de segurança operacional) para o Ground Service Provider e o monitoramento contínuo dos riscos das operações de solo pelos Estados membros da ICAO, a vigorar em 2024.

What is your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Roberto Caiafa
Jornalista e Repórter Fotográfico especializado na Editoria de Defesa com mais de 15 anos de experiência profissional. Corresponsal no Brasil de Infodefensa desde abril de 2011. Youtube Canal Caiafamaster (https://www.youtube.com/c/caiafamaster)

You may also like

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in:COBERTURA