ARCOBERTURADESTAQUEMARTERRAVÍDEO DO DIA

Base Industrial de Defesa Brasileira realiza tour pelo Oriente Médio e Leste Europeu

secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, almirante Flávio Augusto Viana Rocha, embarcou nesta quarta-feira (18/05) liderando uma comitiva brasileira em um tour comercial por 11 países, começando pelo Iraque.

 

O secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, almirante Flávio Augusto Viana Rocha (Imagem: SAE)

Além do interesse brasileiro no petróleo iraquiano, a visita tem o objetivo comercial direto de promover a indústria de Defesa nacional, que anseia ampliar a venda de equipamentos bélicos àquele país, no passado um dos maiores clientes de armamentos produzidos no Brasil como blindados sobre rodas, lançadores de foguetes e veículos de emprego geral.

A fabricante de armas Taurus e a produtora de munições CBC avaliam a entrada em novos mercados enquanto o governo do Iraque busca no exterior parceiros comerciais visando adquirir armamento moderno para sua força policial, especialmente armas leves como pistolas, fuzis e carabinas.

 

Além dos blindados Cascavel como os da foto, o Iraque também comprou o sistema de artilharia com foguetes ASTROS e blindados 6×6 Urutu (Imagem: US DoD)

Após os contatos no Iraque, a comitiva brasileira vai passar por Marrocos, Egito, Emirados Árabes, Omã, Kuwait, Bahrein, Qatar e Arábia Saudita. A maior parte das agendas nessas nações envolvem a Secretaria de Produtos de Defesa, do Ministério da Defesa, trabalhando coordenadamente com a Secretaria de Assuntos Estratégicos.

Numa estratégia comercial de futuro, fala-se nos bastidores do Ministério da Defesa que o atual secretário de produtos de Defesa, Marcos Degaut, será designado como o próximo embaixador do Brasil em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, considerado ponto estratégico para alavancar vendas de produtos, sistemas e serviços bélicos naquela região.

Após o giro pelo Golfo e Oriente Médio, a delegação brasileira vai em direção ao Leste Europeu, onde visitará a Hungria e a República Tcheca, países que já conhecem as potencialidades do Brasil no setor aeroespacial, já que ambos firmaram negócios com o Grupo Embraer relacionados ao jato de transporte militar C-390 Millennium.

Enquanto originalmente a República Tcheca foi anunciada como parceira na fabricação de componentes do avião (a empresa Aero Vodochody produz a porta dianteira esquerda, portas traseiras, parte da rampa de acesso traseira e a seção traseira da fuselagem), a expectativa de compra de dois exemplares por parte das Forças Armadas Tchecas acabou não se concretizando.

Já a Hungria, um País membro da NATO/OTAN, adquiriu dois jatos KC-390 que serão usados tanto para reabastecer os caças SAAB Gripen da Força Aérea Húngara empregados para a defesa do seu espaço aéreo quanto executar missões MEDEVAC/Humanitárias como uma UTI aérea completa.

Imagem: Marco Aurélio do Couto Ramos

O primeiro KC-390 húngaro deverá ser entregue em 2023, acredita-se que durante a realização do próximo Paris Air Show.

What is your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Roberto Caiafa
Jornalista e Repórter Fotográfico especializado na Editoria de Defesa com mais de 15 anos de experiência profissional. Corresponsal no Brasil de Infodefensa desde abril de 2011. Youtube Canal Caiafamaster (https://www.youtube.com/c/caiafamaster)

You may also like

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in:AR