ARCOBERTURADESTAQUEENTREVISTAMARTERRA

100 dias para o Bicentenário da Independência do Brasil

Brasília, 30/05/2022 – A contagem regressiva para a celebração do Bicentenário da Independência do Brasil atingiu a marca de 100 dias nesta segunda-feira (30).

O esforço contínuo da Defesa Nacional para assegurar a liberdade e independência conquistadas possibilitou a concepção de nação tal qual é vista hoje, pacífica, mas preparada para dissuadir potenciais ameaças.

Ao relembrar os avanços tecnológicos que possibilitaram a manutenção da soberania do País, o Ministério da Defesa destaca os meios da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira, usados outrora e nos dias atuais, para cumprimento das missões constitucionais.

01.jpg

Os progressos dos meios navais perpassam a criação do Navio Veleiro Cisne Branco, batizado e lançado ao mar em 4 de agosto de 1999.

O navio da Marinha foi construído para comemorar os 500 anos do descobrimento do Brasil e, com sua pintura impecavelmente branca, sua missão é representar o País em eventos náuticos nacionais e internacionais, divulgar a mentalidade marítima e preservar as tradições navais.

Tempos depois, a evolução marítima trouxe a Capitânia da Esquadra A140 Atlântico, em 2018.

FOTO: ROBERTO CAIAFA

O navio-aeródromo multipropósito foi projetado para as tarefas de controle de áreas marítimas, projeção de poder sobre terra, pelo mar e pelo ar.

Sua contribuição em benefício do bem comum, também, alcança missões de caráter humanitário, de evacuação de pessoal, bem como para auxílio a vítimas de desastres naturais e em operações de manutenção de paz.

Antes mesmo do marco da Independência, a Força Terrestre também já dispunha de capacidades para salvaguardar a Nação. Criados em 1808, os Dragões da Independência foram o primeiro Regimento de Cavalaria de Guardas do Exército Brasileiro.

A unidade tinha o propósito de realizar a guarda dos integrantes da coroa portuguesa em solo brasileiro, transformando-se, depois, na guarda de honra do Imperador. Ainda hoje, a Cavalaria serve à mais alta autoridade do País: o Presidente da República, além de atuar em operações de Garantia da Lei e Ordem.

Através das gerações, o Exército recebeu a nova família de Viaturas Blindadas de Transporte de Pessoal (VBTP) buscando acompanhar a estatura político-estratégica do País.

Com autonomia de 800 km e capacidade de transportar até 11 militares, o blindado possui qualidade anfíbia, design modular e tecnologia nacional, o que contribui para aumento da mobilidade estratégica da Força Terrestre.

Na linha do tempo da Força Aérea, voltamos até 1906 com a decolagem da aeronave 14-Bis. Com capacidade para apenas um tripulante, o 14-Bis foi o primeiro avião a conseguir decolar por seus próprios meios, alcançando 2 metros de altura do solo e percorrendo uma distância de 60 metros em 7 segundos.

FOTO: ROBERTO CAIAFA

O feito ocorreu em Bagatelle, no centro de Paris.

Mais recentemente, a ampliação das capacidades aéreas resultou na criação da mais moderna plataforma multimissão que atuará na defesa do espaço aéreo brasileiro.

A aeronave de caça F-39 GRIPEN é capaz de voar a uma velocidade máxima de 2.400 km/h. Seus atributos incluem a elevada eficiência, o baixo custo de operação, a grande disponibilidade e a avançada capacidade tecnológica.

Nesses 200 anos, muitas mudanças ocorreram para garantir o cumprimento da missão de salvaguardar os interesses nacionais.

FOTO: ROBERTO CAIAFA

FOTO: ROBERTO CAIAFA

FOTO: ROBERTO CAIAFA

Estes e outros feitos marcaram a história da Defesa, ampliando a atuação militar inclusive em ações de fomento à indústria nacional e à economia brasileira.

Por Viviane Oliveira

What is your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Roberto Caiafa
Jornalista e Repórter Fotográfico especializado na Editoria de Defesa com mais de 15 anos de experiência profissional. Corresponsal no Brasil de Infodefensa desde abril de 2011. Youtube Canal Caiafamaster (https://www.youtube.com/c/caiafamaster)

You may also like

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in:AR